77 3612-0426 / 99973-8813 Área do Assinante Webmail

5 curiosidades sobre ataques virtuais que você precisa saber para se proteger

À medida que cresce o volume de informações confidenciais armazenadas em sistemas online, aumentam também as tentativas de ataque para obter esses dados. Conhecer curiosidades sobre os ataques virtuais que ocorrem em 2020 pode ser uma forma de se prevenir.

Embora os métodos de prevenção tenham evoluído consideravelmente, a ousadia dos hackers também cresceu na mesma medida e eles estão sempre buscando novas alternativas de golpe. O setor financeiro é o principal alvo dessas invasões, mas isso não significa que essas instituições sejam as únicas vulneráveis.

Mais de 8,5 bilhões de registros foram comprometidos em 2019

Os ataques virtuais bem-sucedidos cresceram quase 200% em relação a 2018. De acordo com especialistas, foram nada menos do que 8,5 bilhões de registros violados somente no ano passado. Na ampla maioria dos casos, a não utilização de verificação em duas etapas para login é um dos grandes causadores dos problemas.

A dica, portanto, é ativar esse método nas suas principais senhas. Sejam elas de uso pessoal ou comercial, redobre os cuidados nos locais em que há informações sensíveis circulando. As chances de que um ataque seja bem-sucedido caem bastante quando a dupla verificação está ativada.

Senha “única” não é um bom negócio

Utilizar uma mesma senha para diversos serviços online também não é uma boa ideia. Se a sua senha for comprometida em um serviço isso significa que você está em perigo em todos os outros que utiliza automaticamente. Os chamados millenials – nascidos entre 1980 e 1995 – são os que mais cometem esse tipo de erro.

O maior perigo está no uso de senhas em sites com baixo nível de segurança. Dados acessados por meio deles podem servir de trampolim para que os hackers obtenham acesso a serviços mais seguros, como Google, Facebook ou Microsoft. A dica é usar uma senha para cada serviço e minimizar os riscos.

Brasil é top 5 em redes de bots

As tentativas de quebra de senha, na maioria das vezes, não são feitas manualmente. Bots são executados para tentar descobrir os dados dos usuários e essas redes são frequentes no Brasil. Estudos mostram que o país é o quinto colocado no mundo em redes de bots, ficando atrás apenas de Estados Unidos, França, Holanda e Rússia.

Por essa razão, nunca é demais lembrar que você deve redobrar a sua atenção. Nós brasileiros estamos muito mais sujeitos a sofrer tentativas de ataque do que os argentinos, por exemplo. Como complemento, verifique a origem dos serviços que você utiliza. Se eles forem de um dos países citados acima, tome ainda mais cuidado.

Google e YouTube são os mais visados em golpes de phishing

As práticas de phishing estão entre as mais frequentes em termos de metodologia utilizada pelos hackers. A ideia é jogar uma isca para o usuário com um link malicioso, capaz de roubar dados da sua máquina. Em mais de 60% dos casos os golpes têm relação com o YouTube ou o Google, serviços utilizados pela maioria dos usuários.

As técnicas empregadas para isso são variadas. As iscas se utilizam de páginas falsas e redirecionamento para sites que executam malwares. Para evitar esse tipo de golpe, mantenha um antivírus ativo na sua máquina e verifique sempre a URL de um site antes de acessar uma página por meio de um link recebido.

Golpes demoram a ser percebidos

Mesmo entre as grandes companhias, pode demorar até seis meses para que elas percebam que dados confidenciais foram invadidos ou roubados. Durante todo esse tempo, hackers apenas monitoram as informações e tiram proveito da situação, coletando o maior número possível de dados.

O mesmo acontece conosco, usuários comuns. Um malware instalado no PC e rodando em segundo plano pode demorar meses para ser percebido de forma natural. A dica, portanto, é sempre manter um antivírus ativo e executar as verificações necessárias pelo menos uma vez a cada 15 dias.

 

  • Compartilhe: